5 Dicas Para Sair das Dívidas

5 Dicas para sair das dívidas Acompanhe o passo-a-passo e saia do vermelho
Renan Lopes - 12/09/2016

Endividar-se nunca foi tão fácil e devido a aceitação da população, os juros abusivos só aumentam, o que torna o processo para sair das dívidas muito complicado. Você saberia por exemplo, qual a taxa de juros mensal ou anual que você paga por aquele produto que comprou parcelado? Muitas pessoas provavelmente não sabem e mesmo assim optaram por adquirir aquele tão sonhado bem de consumo.

E para auxiliar as diversas pessoas e empresas que se encontram nesta situação, selecionamos 5 dicas importantes que vão ajudar a sair desta posição.

#1 Identificar as dívidas

As taxas mais altas são as do cartão de crédito, principalmente a do cheque especial, que podem chegar até a 500% ao ano. Isto significa que se você deve R$ 10 mil hoje, daqui a doze meses você estará devendo a R$ 50 mil, tornando-se muito difícil sair das dívidas.

O primeiro passo é anotar todas as suas dívidas e então descobrir quais dentre elas possuem a maior taxa de juros. Você deverá ligar para o gerente do seu banco e também para as empresas e pessoas para as quais você está em débito e checar com eles quais são as taxas atuais que você paga. As dívidas com as taxas mais altas deverão ser sua prioridade número 1, principalmente se você está no cheque especial ou parcelou a fatura do cartão.

#2 Definir seu orçamento familiar

Para traçar uma estratégia você deve entender seu orçamento familiar. Anote absolutamente tudo que você gasta por mês, principalmente as famosas 'Despesas Fantasmas' como por exemplo aquele cafézinho que você toma de manhã e até mesmo aquela moeda que você gasta para estacionar o carro.

Não anote apenas os maiores gastos como aluguel, contas de luz, telefone e a parcela do carro, isto é muito errado pois vai te dar a impressão que seu orçamento é muito maior do que realmente é. Tenha em mente que gastamos muito com alimentação, estacionamento, combustivel dentre outras coisas que passam desapercebidas. Anote tudo em uma caderneta, crie uma planilha ou se quiser mais praticidade utilize gratuitamente nosso sistema de contas a pagar e receber online.

#3 Entender o orçamento familiar

Com o orçamento familiar em mãos, vamos procurar por 4 categorias: Recebimentos, Dívidas, Gastos Essenciais e Gastos com Supérfulos. Na categoria de gastos essencias entram o aluguel, conta de água e luz e alimentação básica. Nos supérfulos entram a conta da academia, restaurantes de fim de semana, cinema, etc.

Neste primeiro momento você deverá se comprometer em cortar ao máximo seu gasto com supérfulos. Se sua situação for muito extrema, você deverá considerar cortar inclusive sua internet e planos de saúde. Antes do próximo passo, faça a seguinte conta e anote em um papel: (Recebimentos - Gastos Essenciais)

#4 Unificar e renegociar suas dívidas

Com a conta da dica #3 você obteve o valor líquido que sobra todo mês, isto é, sem contar com as dívidas e os gastos com supérfulos. Deste valor líquido você deverá guardar religiosamente 30% todo mês. Guarde assim que receber seu salário, não deixe para o fim do mês. O valor restante deverá ser utilizado para quitar suas dívidas. Se você seguiu todos os passos até agora, você sabe exatamente o valor de sua dívida e sabe o quanto você tem disponível mensalmente para quitá-la.

Agora considere a opção de unificar as dívidas. Converse com o gerente do seu banco e tente negociar um desconto para quitar sua dívida atual. Para isto você deverá fazer um novo empréstimo e utilizar este dinheiro para sair das dívidas anteriores. Leve consigo a conta feita no passo #3 para que a parcela do seu empréstimo não ultrapasse o valor máximo de seu orçamento calculado. Esta técnica é vantajosa quando os juros do novo empréstimo são menores que os juros pagos anteriores. Considere esta opção principalmente se você deve ao cartão de crédito e ao cheque especial.

#5 Comprometimento e educação financeira

Muito bem, você conseguiu sair das dívidas antigas e consolidou tudo em uma única parcela que cabe no seu bolso. Porém não se esqueça que você deve estar comprometico com a redução de seus gastos e também comprometido em utilizar 30% de sua renda para investir e começar a gerar riqueza. É essencial que você desenvolva sua inteligência financeira, aprenda a economizar, investir e planejar.

Organize Suas Contas Com o Sistema Soma - Comece Grátis


Gostou de nossa matéria? Não se esqueça de compartilhar nas redes sociais e de se inscrever em nossa Newsletter para receber mais matérias como esta e também conteúdos gratuitos sobre empreendedorismo, finanças e marketing. Em caso de dúvidas, críticas ou sugestões, deixe seu comentário logo abaixo.

Tem 29 anos, empresário e formado em Ciência da Computação com pós-graduação em Tecnologias Web e MBA em Gestão de Projetos. Aficionado por tecnologia, empreendedorismo e finanças.
Últimos posts do autor

Participe e Comente