O Que é Venture Capital Ou Capital de Risco?

O Que é Venture Capital Ou Capital de Risco
Renan Lopes - 12/03/2018

Venture Capital é um termo estrangeiro que, em uma adaptação da tradução, significaria Investimento de Risco. Mas não é qualquer investimento. São organizações, com capacidade financeira e estrutural, que investem em médias empresas que estão posicionadas no mercado, mas que ainda precisam de uma “forcinha” para desenvolver-se mais e melhor, e atingir seu potencial máximo.

Historicamente, é uma prática provinda dos Estados Unidos, ambientada na pós segunda guerra mundial, onde havia escassez de trabalho. Empresas de pequeno porte precisavam de investimentos para se desenvolver, e assim buscaram assistência em grandes empresários em troca de benefícios financeiros, lucros ou ganhos de capital.

A ideia evoluiu, e atualmente existem sociedades especializadas nesse ramo de investimento. Além de injetar financeiramente recursos de alavancagem, também dão consultoria, ajustam a cultura da empresa, melhoram a expertise do empresário, e o auxiliam na tomada de decisão. É como um sócio irmão-mais-velho.

Ao final do processo, a Venture Capital recebe seus dividendos com base nos acordos iniciais, e lucram junto com a empresa. Todos ganham. Porém, entende-se que é um investimento de longo prazo, e algumas vezes pode não dar certo.

No Brasil, essa modalidade iniciou com os incentivos do Governo Federal, porém em forma de organização institucional. O apoio monetário ficava para as pequenas empresas, itinerantes no processo empresarial. Mais tarde apareceram as organizações com fundos suficientes para dar cobertura às médias empresas.

O Venture Capitalist

O Venture Capitalist (VC) é o investidor, um empresário que está sempre em busca de evolução dos seus negócios, pronto para tornar-se sócio de alguma outra empresa menor. Está preparado para suportar inclusive quando seu investimento acarretar em falhas ou perdas. Porém, o bom Venture Capitalist tem esse risco já calculado e medido, e praticamente conta com a falha. Para minimizar o erro, possui equipes treinadas e acuradas para estudar a média empresa, e verificar se é viável proceder com o investimento, e qual a melhor forma.

Esse investidor tem uma grande facilidade em solucionar um dos maiores entraves para o novo empreendedor, que é a conexão dele com uma fonte financeira. O empreendedor tem a ideia, a inovação, mas não tem o capital. O Venture Capitalist pode ser o próprio investidor, ou promover o encontro com um. O que esse empresário tem de fato é uma equipe muito bem estruturada, capaz de efetuar o melhor estudo de viabilidade para ajudar e auxiliar a média empresa.

O Venture Capitalist busca o encontro de algumas características na empresa, como liderança, demanda acessível, crescimento, momento de mercado ideal, cultura empresarial e vantagem competitiva. Em relação à cultura, um VC estuda as pessoas que estão na empresa acima da sua notoriedade ou do seu produto. Busca entender o relacionamento interpessoal, se as pessoas estão engajadas e comprometidas, se todos sabem seus papéis, se existe alguma resistência. O negócio em si é tratável com tabelas, técnicas, observação e especulação de mercado. Mas as pessoas são imprevisíveis, instáveis e emocionais. A elas deve-se ter a maior atenção, e algumas vezes negócios não são fechados pelo fato de o Venture Capitalist identificar problemas graves no fator humano.

Não devemos confundir o VC com um coach de negócios. São diferentes em sua essência. Um coach é um técnico, um treinador, e seu objetivo é aperfeiçoar o empresário, sem se envolver diretamente com a dinâmica do trabalho. O VC entra na batalha, abraça a causa como se fosse a dele (afinal, agora ele é sócio), e põe a mão na massa.

Uma figura notória, e que ilustra bem o Venture Capitalist é o empresário Marcus Lemonis, protagonista do reality O Sócio (apresentado pelo canal History). Ele é um empresário bem sucedido, com capital suficiente para arriscar, e trabalha na busca por empresas em ponto de expansão, apenas aguardando uma injeção financeira pesada. Como troca, Marcus pede parte da lucratividade, e assume a administração do negócio quase que na sua totalidade. Em muito dos casos o processo se mostra evolutivo, e o negócio prospera. Claro, algumas vezes não dá certo, e Marcus perde seu investimento.

As empresas em ascensão, com tudo pronto para evoluir, podem estar na mira das Sociedades de Capital de Risco (SCR), e seus Venture Capitalist estão prontos para absorvê-las e ajuda-las, lucrando muito com essa parceria.

Organize Suas Contas Com o Sistema Soma - Comece Grátis


Gostou de nossa matéria? Não se esqueça de compartilhar nas redes sociais e de se inscrever em nossa Newsletter para receber mais matérias como esta e também conteúdos gratuitos sobre empreendedorismo, finanças e marketing. Em caso de dúvidas, críticas ou sugestões, deixe seu comentário logo abaixo.

Tem 29 anos, empresário e formado em Ciência da Computação com pós-graduação em Tecnologias Web e MBA em Gestão de Projetos. Aficionado por tecnologia, empreendedorismo e finanças.
Últimos posts do autor

Participe e Comente