Como Fazer Um Balanço Patrimonial

Como Fazer Um Balanço Patrimonial
Renan Lopes - 16/05/2017

Ao abrir um negócio nos deparamos com diversas obrigações contábeis e declarações financeiras que precisamos fazer. São tantos nomes e siglas que é natural que alguns empreendedores se sintam perdidos.

Na teoria, toda empresa precisa fazer o balanço patrimonial, e vamos tentar cobrir o modo correto de se fazê-lo e também salientar qual a sua importância.

O que é o balanço patrimonial?

É um relatório contábil obrigatório destinado a verificar o equilíbrio entre os ativos e passivos de uma empresa para determinar de uma forma relativamente precisa o seu patrimônio.

Por ser obrigatório, deve fazer parte das demonstrações financeiras de uma empresa de acordo com a legislação. Além disso, sua elaboração está sujeitas às normas do Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

Esta demonstração financeira é composta por diversos dados que são levantados no dia-a-dia da empresa como cheques, duplicatas, equipamentos, terrnos etc. Tudo é então registrado em um documento.

Estes registros são então organizados através das regras da legislação quanto a sua estrutura, e após um determinado período de tempo devem ser apresentados, juntamente com outros relatórios, às autoridades competentes.

Através dele é possível saber ao certo qual é o posicionamento patrimonial e financeiro da empresa por um período que, normalmente, compreende um ano, um semestre ou um trimestre de funcionamento.

Ele visa, principalmente, oferecer as informações aos usuários de forma clara e precisa, para que fique evidente a situação financeira da entidade.

Costuma-se comparar o balanço patrimonial com uma fotografia, pois assim como esta retrata o exato momento em que foi tirada, o relatório demonstra a realidade da situação financeira da empresa como está naquele exato instante.

Por conta disso, diz-se que ele é uma demonstração contábil estática, e somente diz respeito àquele período.

Apesar do balanço patrimonial ser obrigatório, sugerimos que você como empreendedor não se atenha somente a eles, existem alguns outros relatórios gerenciais que podem ajudar muito na gestão de sua empresa como o DRE - Demonstração de Resultados do Exercício. Recpmendamos que utilize de todos os recursos que estiverem disponíveis para que sua empresa tenha sempre muito sucesso.

A Estrutura do Balanço Patrimonial

Sua estrutura é bem simples leva em consideração 2 principais conceitos:

  1. Ativos
  2. Passivos Circulantes

Dentro destes dois conceitos, entram diversas informações como Ativos Imobilizados, Dinheiro em Caixa, Imóveis e até mesmo o Capital Social.

O que é o Ativo?

São os bens e direitos que compõem o patrimônio da empresa, além de englobar também aplicações que possam trazer benefícios econômicos.

Alguns exemplos de contas que estão presentes no ativo são os estoques, contas a receber, bens imóveis, etc.

Somente podem ser considerados no ativo os bens dos quais a empresa tenha propriedade, ou seja, caso, por exemplo, a entidade pague aluguel todos os meses por um imóvel, ele não é considerado nesta categoria, pois não é uma propriedade dela.

O ativo é subdividido em algumas categorias que classificam os itens de acordo com o grau de liquidez, ou seja, são categorizados de acordo com o tempo que levam para ser transformados em dinheiro. Então, o ativo está dividido da seguinte forma:

  1. Ativo Circulante: são os que têm maior liquidez
  2. Ativo Não Circulante: nesta conta estão incluídos os bens de permanência duradoura;
  3. Ativo Realizável a Longo Prazo: são benefícios financeiros que somente serão recebidos após o fim do exercício seguinte;
  4. Ativo Permanente: são os investimento, imobilizado e intangível;

Os ativos intangíveis vêm ganhando muita força dentro dos balanços das empresas nos últimos anos, pois a marca de um produto, por exemplo, tem muito mais valor atualmente do que tinha no passado.

O que é o Passivo?

É composto pelas obrigações financeiras da empresa, como contas a pagar, por exemplo.

As contas do passivo são subdividas nas seguintes categorias:

  1. Passivo Circulante: deve ser pago em até um ano;
  2. Passivo Não Circulante: o prazo para pagamento é de mais de um ano;

O passivo é mau visto, mas, muitas vezes não representa que a empresa está endividada, tudo depende de diversos fatores, inclusive receitas futuras que não puderam ser contabilizadas no balanço.

O que é o Patrimônio Líquido?

Este item é também conhecido como Capital próprio, e é a diferença entre ativo e passivo.

Esse grupo representa a fatia do patrimônio que pertence aos sócios da empresa, e não é exigível.

O patrimônio liquido se baseia no Principio da Entidade, segundo o qual os bens da entidade não se confundem com o dos sócios e o valor obtido através do Patrimônio liquido pertence aos acionistas.

Os cálculos não são tão complicados quanto parecem

Esta demonstração contábil não tem uma elaboração complicada como tantas outras, o que não quer dizer que não seja trabalhoso.

Ele é, basicamente, uma lista de todos os bens, dívidas, investimentos, dentre outros, e dá bastante trabalho, pois cada item deve corresponder a sua conta correta e se os saldos não ficarem iguais, pode levar bastante tempo até encontrar o erro no balanço.

Lembrando que esta demonstração contábil funciona de forma que o patrimônio líquido é obtido através da seguinte equação: Patrimônio líquido = Ativo – Passivo

As importantes análises decorrentes do balanço patrimonial

Ele é um importante instrumento para realizar uma análise sobre a situação financeira da empresa, pois fornece importantes informações acerca da forma como a entidade vem sendo gerida, suas dívidas, etc.

É fundamental, no entanto, ter algum conhecimento contábil para que essa interpretação seja feita da forma mais acurada possível.

Para analisar de forma correta um balanço patrimonial, é necessário decompor o todo em partes, e conhecer a fundo cada um de seus elementos.

Além disso, essa análise vai depender muito das particularidades de cada negócio, pois duas empresas, apesar de estarem no mesmo ramo, podem ser bem diferentes entre si, e essa interpretação depende muito dessas características próprias de cada local.

Os indicadores que se obtém através desta demonstração contábil dizem respeito a indicadores de liquidez, endividamento, etc.

Uma empresa que possua, por exemplo, o passivo maior que o ativo, deve a terceiros mais do que tem em patrimônio, já quando a entidade tem o ativo maior que o passivo, ela tem mais condições financeiras de honrar as dívidas que possui.

A padronização do balanço contábil

Diante da globalização, foi necessário também padronizar a contabilidade das entidades, de forma que seus relatórios tenham uma estrutura que facilite a sua análise por diferentes usuários.

Essa padronização tem ocorrido a nível mundial, para que o comércio internacional ocorra de forma mais segura e que pessoas de qualquer país consigam interpretar os relatórios.

As diferentes contas presentes no balanço patrimonial estão categorizadas como ativo, passivo ou patrimônio líquido.

Para elaborar o balanço patrimonial, é necessário ter organização

Como o balanço patrimonial normalmente engloba o período de um ano, você nunca deve deixar para fazer as contas somente depois de doze meses.

Para se manter organizado, atualize a tabela do balanço todos os meses, isso vai facilitar muito o fechamento no final do ano. Afinal, mesmo uma empresa pequena possui tantas contas para calcular no balanço que a coisa mais fácil é se perder e errar nos cálculos.

Uma recomendação é utilizar um Sistema de Contas a Pagar para que lhe auxilie a manter organizado os passivos e também o valor que você tem parado em seu Estoque.

Apesar do balanço patrimonial não apresentar muitas dificuldades com relação aos cálculos e sua estrutura, ele deve ser elaborado com máxima atenção, para que não acarrete problemas à entidade.

E sempre fique atento nos valores pois qualquer problema que ocorra na realização do balanço contábil pode gerar prejuízos e comprometer a saúde financeira do seu negócio.

Na dúvida, o melhor a se fazer é conversar com um contador, que poderá te ajudar a organizar as contas de forma correta, afinal, não vale a pena arriscar a reputação do seu negócio por conta de balanços mal elaborados. O Custo de Um Contador pode variar bastante de região para região, porém o investimento vale a pena.

Organize Suas Contas Com o Sistema Soma - Comece Grátis


Gostou de nossa matéria? Não se esqueça de compartilhar nas redes sociais e de se inscrever em nossa Newsletter para receber mais matérias como esta e também conteúdos gratuitos sobre empreendedorismo, finanças e marketing. Em caso de dúvidas, críticas ou sugestões, deixe seu comentário logo abaixo.

Tem 29 anos, empresário e formado em Ciência da Computação com pós-graduação em Tecnologias Web e MBA em Gestão de Projetos. Aficionado por tecnologia, empreendedorismo e finanças.
Últimos posts do autor

Participe e Comente